Discurso de Apresentação do 2º Candidato Paulo Matos à Assembleia Municipal de Gavião

apresentacao 3.jpg

 

apresentacao 2.jpg

 

apresentacao.jpg

 

apresentacao 4.jpg

 

outdoorgrande.jpg

 Discurso de Apresentação do 2º Candidato Paulo Matos à Assembleia Municipal de Gavião

17 de Setembro de 2017

 
Sinto-me muito honrado, ao vir hoje aqui a esta tribuna, pois vou falar-vos de coração aberto, e feliz.
 
Sem vos aborrecer com egocentrismos, gostaria de vos recordar, ao de leve o meu caminho.
 
A 19 de setembro de 2009 apresentei-me pela primeira vez ao povo Gavionense,na casa do povo de Gavião, e nesse momento citei 2 frases que hoje quero vos quero recordar:
 
“Nunca se deve lutar pelo poder por causa do próprio poder, mas como instrumento para executar um projeto ao serviço das pessoas”,
palavras sábias ditas pelo Dr. Pedro Santana Lopes
 
E ainda
 
“A política só faz sentido se se basear num contrato de confiança entre os representantes e quem os escolheu.”
dito à data, pela presidente do PPD-PSD Manuela Ferreira Leite
 
Acreditem, estas duas citações, hoje continuam a fazer imenso sentido.
 
O meu primeiro mandato autárquico no concelho, tinha como único objetivo de demonstrar a todos, inclusive a mim próprio, que era possível fazer oposição séria e credível, ainda que viesse de alguém sem experiência politica.
 
Ao fazer reflexões sob este período era muito mais fácil para mim, dizer o quão maltratado fui em reuniões de câmara, ao nível pessoal, a forma autoritária pelo Ex-presidente Jorge Martins. Mas não quero ir por esse caminho fácil de falar mal. Vou, portanto, falar-vos das conquistas desse período.
 
Nesse período vi muitos cidadãos, sob um manto de anonimato, aproximarem-se. Vi as pessoas a começaram pela primeira a questionarem-se, desde os processos de seleção da contratação pública, à forma como os dinheiros da câmara eram gastos, e onde?
 
Foi muito bom ver crescer o espírito critico na comunidade face ao poder do sistema. E foi este caminho, e crescimento, que nos levou a que a 7 de Agosto de 2013, apresentámos uma renovada candidatura com o mote “construir um novo gavião”.
 
Agora, e voltamos a usar a casa do povo ainda mais cheia, o que por si só foi uma vitória da democracia no concelho.
 
É inegável que nesse dia, o nosso propósito coletivo mudou: já não queríamos fazer apenas oposição.
Construímos uma narrativa, capaz de levar equipas sérias a todos os órgãos autárquicos aos quais nos candidatámos. Já não era só o Paulo Matos, era o Paulo, o Saul, o Eduardo, a Maria José Ferreira, o Arez, a Helena, o João Manuel, o Carlos Chambel, o Semedo, a Sandra, o Fernando Chambel, o Fábio, o Vitor, a Maria Antunes, o Luís Canha, a Isabel Casa Branca, e tantos por aí fora…. Foi muito bom!
 
Foi uma campanha fantástica, e um resultado que sendo o melhor desde o 25 de Abril, só não foi excelente porque não vencemos a derradeira batalha.
 
Nessa apresentação da candidatura, referi as seguintes frases que mais uma vez, volto a frisar hoje
“É necessário um projeto de inquestionável qualidade democrática”
e
“Renovação não é dispensar quem é útil. É acrescentar quem faz falta.”
 
E perguntam vós, porque volto a referir estas duas expressões?
Porque são elas que nos fazem exatamente chegar aqui; onde estamos; com o Eduardo Pereira a encabeçar uma candidatura que diz “Gavião para Todos”.
 
Eduardo, como estás certo! É isto mesmo.
 
Caro amigo e companheiro de luta Eduardo,
 
Nos últimos 4 anos nem tudo o que fizemos coletivamente, o fizemos bem, nem sempre estivemos bem no papel de alternativa democrática, seja na câmara, na assembleia municipal, nas assembleias de freguesia, MAS fizemos o que conseguimos, com o nosso esforço pessoal, com os recursos parcos que todos temos, pois não vivemos da politica, como quem está no poder se faz usufruir,ao ponto, imaginem de poder gozar vários períodos de férias à boleia das associações no nosso concelho.
 
Porém, fizemos coisas que alguns desconhecem.
 
Foi o nosso programa eleitoral de 2013 que pôs na agenda da politica Gavionense 172 medidas inovadoras… e imagine-se, mais de 50 já foram cumpridas pelo partido socialista durante este mandato (2013 – 2017).
Perguntai vós, de que forma foram introduzidas? Sorrateiramente, pois claro, mas aos poucos, fizeram-nas acontecer, e quem ganhou?
 
O povo Gavionense ganhou.
 
E esse resultado, Eduardo,
 
Será sempre o nosso melhor resultado, sentir que o povo com a nossa presença obteve mais qualidade de vida.
 
No fundo, é isto que nos une, mais que nos afasta, a todos nós hoje aqui presentes.
 
Estamos hoje numa candidatura em coligação com o CDS. Facto que desde já aproveito para agradecer. Muito Obrigado.
 
Estamos aqui, porque acreditamos, como acreditámos em 2001, como acreditámos em 2005, como acreditámos em 2009, como acreditámos em 2013, como acreditamos em 2017.
 
Somos um elemento no poder autárquico que é útil, para que a democracia funcione no nosso concelho, que os acessos aos lugares públicos não sejam “reservados”, que o concelho possa ter futuro do ponto de vista de emprego, e que nós, e caso o queiramos, também estejamos integrados nesse futuro coletivo.
 
Eduardo, faço votos do teu sucesso, porque no teu sucesso seremos todos nós coletivamente um povo mais bem-sucedido.
 
Parabéns, pela coragem em pegar neste desafio, que não é fácil, eu sei que não, mas quem o toma em ombros é sempre algum de muita coragem, porque não há outra forma de levar isto por diante.
Eduardo, já demonstrámos saber fazer oposição em 2009, já demonstramos que somos capazes construir equipas em 2013, e tu, agora em 2017, estás a demonstrar é possível fazer uma renovação geracional, trazendo novas pessoas para a vida politica do concelho, ao invés da incapacidade crónica dos que estão no poder e neste se eternizam.
 
É esse o teu património, é sob esse desígnio que está a tua base. Cuida bem dela e tenho a certeza que esta candidatura só por si será um sucesso.
 
Muito obrigado a todos.
publicado por Paulo José Matos às 23:59 | comentar | favorito