Clipping - Saul Pereira - Jornal Alto Alentejo

 

A visão política de Saul Pereira no contexto da sociedade gavionense


Detenho uma longa participação e experiência politica, recordo a minha entrada na Assembleia Municipal.

 

Naquele momento tinha a visão de que poderia ajudar no desenvolvimento do concelho e com um espirito de luta contra o poder instalado e seus vícios.


Sou da terra, nascido e criado.


O que mais me motiva na participação política é conhecer o meu concelho, as suas gentes, os seus problemas e dificuldades, as suas conquistas e poder participar e dividir essas emoções, nos seus melhores e piores momentos.


Fui eleito em 2001 como vereador, e sinto-me muito honrado pela população do concelho me ter dado esse voto de confiança ou mesmo de mudança. Mesmo estando em minoria nas reuniões do executivo municipal sinto um grande orgulho por conseguir passar algumas propostas, mas lamento que os munícipes só agora as vejam concretizadas, ou seja, o que no meu tempo de vereador era impossível de executar, 12 anos depois, à porta de novas eleições tudo se torna possível.


 Após 4 anos na Assembleia de freguesia de Gavião onde houve respeito de todas as partes sempre defendi a aquisição de equipamento de segurança para os funcionários da junta de freguesia. Mesmo sabendo que com uma taxa de execução líquida do orçamento extremamente baixa, sei que poderia ser mais aproveitado para melhorar as condições de quem trabalha no terreno.


Como gavionense de raiz, lamento que nos dias de hoje ainda exista um clima de receio à liberdade de expressão e opinião.


O voto é secreto, mas mesmo assim muitos temem represálias ou mesmo receio de perder os seus postos de trabalho, ou seus familiares, por terem ideais diferentes aos que estão implementados no concelho pelo partido dominante. O todo poderoso.

publicado por Paulo José Matos às 12:00 | comentar | favorito