Lutamos por algo, mas na verdade somos cada vez mais pobres!

É com todo o desânimo que me encontro a calcorrear estas palavras, estas que estou escrevendo...

 

 

 

 

Sendo jovens temos o direito (senão dever) de ter ilusões idealísticas , sobre os mais  variadíssimos temas deste o trabalho (o nosso próprio) à governação da nossa vila ou mesma a das nações! Como somos ingénuos !

 

 

 

 

Pergunto-me: o que somos"?",e para o que corremos"?". Depois acontece que temos um acidente de carro e ficamos sem ele, namoramos de quinze em quinze dias porque fica caro estar sempre a viajar, temos uma amiga com uma doença complicadíssima esta a lutar por querer viver!

 

 

 

 

Com tantos dramas morais nas nossas interligações afectivas como podemos olhar com bons olhos a uma governação nacional que pede mais impostos? Uma governação que decide centralizar poder e serviços? Que pretende em fim último sufocar o que os nossos reis com o suor do mesmo povo lutaram para conquistar, a TERRA!

 

 

 

 

Não sendo suficiente o poder local é obtuso, está corrompido pela complacência de deixar andar, fazem jogos de poder, AGARRAM-NO sem escrúpulos e todos os escorraçados se vêm embora! Só eles é que não vêem isso, ou vêem e pensam: QUE BOM, A O OPOSIÇÃO VAI-SE EMBORA, EH EH EH PAGO-TE MAIS UMA MINI , BRINDEMOS, MAIS UMAS AUTÁRQUICAS NO PAPO!

 

 

 

 

Aqui afirmo perante a minha convicção, sou uma voz na net , aborrecida, não conformada, e sempre que sei um rumor de mais uma facada no concelho de Gavião deixo todos os meus problemas e os dos meus amigos atrás das costas e impele-me a circular mails , dizendo o que o poder não quer que se diga! Procuro cada vez mais a voz de grupo, a voz do povo em mim, sofrendo como ele os desânimos da vida privada, mas não sendo mais um cúmplice desta democracia  amorfa!

 

 

 

Se todos começarmos a lutar pelas terras, talvez um dia o poder nacional esteja ao nosso alcance, NÃO PELO PODER EM SI, mas porque o poder pode ser o melhor meio de melhorar a vida do povo! E isso já foi verdade neste país, mas hoje não o é!

 

 

 

 

Paulo José Estrela Vitoriano de Matos

 

 

Catalaopaulo@hotmail.com

 

publicado por Paulo José Matos às 21:57 | comentar | favorito