das coisas, Estado

"Enojas-me mais do que eu a ti!" in 3 Capitulo

 
Mudança de pensamento, reflexões e outras "cenas que tais"... vivemos num mundo em que a violência gratuita nos surge cada vez mais como o banal, o dia a dia!
 
Somos incutidos por espíritos agressivos, a sociedade representada nos meios de comunicação generalista força-nos até a rir da tragédia dos outros! Não é para menos, nas empresas a competitividade está no ar que se respira, "o sempre em querer ganhar mais que o nosso colega", o trabalho de equipa é minado a médio prazo, pelos desejos intrínsecos de cada um... E quando nos apercebemos, tornamo-nos naquilo que não queremos ser, mais um actor passivo de violência !
 
Tenho remorso por viver neste tipo de sociedade, momentos de total fraqueza! Precisamos colectivamente de um despertar moral, que não seja apenas a leitura de dogmas, mas o exemplo de vida... e quando digo isto: 
-"para seguir o exemplo de alguém, foi porque esse, suplantou ideologicamente os outros! Ou seja, na hora da verdade esse ídolo , não passa de mais um concorrente! PORRA !"

publicado por Paulo José Matos às 23:54 | comentar | favorito
sinto-me: sociedade