Dedicado à Minha Família

 

A

 vida é um ciclo familiar que deve ser algo construtivo para benefício colectivo. São situações de ternura e complacência que nos impelem a agir como um todo, partilhando os bons e os maus momentos.

 

 

 

No meu pequeno exemplo familiar, três gerações de homens: o “Estrela” (meu avô), o “Zé da Grua” (meu pai) e eu próprio (“catalão”) sempre que possível, tentamos organizar pequenas partilhas de esforço. Demonstrando de forma intrínseca duas convergências de pensamento: na vida não estamos isolados (somos parte da Casa onde há gavetas que tem facas e vasos com rosas) e em segundo cuidamos daquilo que a casa detém (qual antiga feitoria)!

 

 

 

Eis pois que no mês de Agosto, num dia em que me parece mais chuvoso do que solarengo (…) é considerado na véspera, numa assembleia-geral (jantar), em que quórum não existe, nem é necessário, pois a voz imperativa, de uma voz gasta pertencente à matriarca (aludindo a uma grande retrospecção temporal devo dizer que já foi governanta de várias casas abastadas, agrava-se o facto de cosmicamente ser Leão) diz:

-“Amanha, vão os três, limpar aquela horta. Já é uma vergonha! Ai, desgraçados (…)”  

 

Ninguém reclama, ninguém diz que não, vamos e pronto!

 

 

publicado por Paulo José Matos às 00:01 | favorito