30
Abr 09
30
Abr 09

Mayday Lisboa - um grito dos precários!

 Caros,

 

Nestes tempos de incerteza a coisa mais certa é a precariedade...

 

Lutemos contra esta  classe burguesa em crescimento sustentado no sacrifício dos outros!

 

 

 

 

publicado por Paulo José Matos às 00:03 | comentar | favorito
29
Abr 09
29
Abr 09

Inciativas reais... com base na temática do 25 Abril

 

É com boas iniciativas que se faz um Portugal melhor!

 

http://aeiou.visao.pt/gen.pl?p=25abril&op=opinions

 

Ver também

 

Também indicadores estruturais de Portugal - Instituto Sá Carneiro

 

http://www.institutosacarneiro.pt/archive/doc/IFSC_-_Sintese_Mensal_de_Indicadores_-_Abril_2009.pdf

 

Outro tipo de informação ao nível europeu de Fundações...

 

http://www.european-network-of-political-foundations.eu/cms/index.php/eng/About-ENoP

 

 

publicado por Paulo José Matos às 14:12 | comentar | favorito
25
Abr 09
25
Abr 09

25 de Abril, Agora mais que nunca!

Caros,

 

A memória não pode ser curta, nem a democracia pode cortar nos direitos dos cidadãos... mas cabem a estes certos deveres... o dever de recordar, que a liberdade tem de ser conquista todos os dias, mesmo que vá de contra os nossos interesses individuais!

 

 

Tal como o jornal, também este blog não foi visado pela censura...

 

Cumprimentos a todos!

 

publicado por Paulo José Matos às 00:01 | comentar | favorito
15
Abr 09
15
Abr 09

Livraria Editora Ramiro Leão em Gavião

Caros 


Vamos dar uma força enorme a este projecto contra-corrente em Gavião!

 

http://www.ramiroleao.com

 

 

Postal Natal e Ano Novo

Loja Ramiro Leão em Lisboa

 

Quadros Evocativos da Ramiro Leao,

numa das paredes da da Editora/Livraria Ramiro Leão em Gavião

 

 

"A Editora Ramiro Leão é um novo projecto editorial, sediado em Gavião, distrito de Portalegre, e pretende abordar um mercado selectivo, apostando fortemente numa identidade própria através da edição de livros de qualidade nas áreas do Turismo, Gastronomia, Arquitectura, Decoração e Património. Pretende-se, também, editar outros formatos, como sejam revistas, separatas, postais, com uma identidade conceptual e gráfica que possa conferir valor acrescentado à marca.Ramiro Leão, para além de despertar e fomentar o gosto pela leitura. Uma ‘micro-editora’ com um projecto editorial coerente, estruturado e, por que não, ambicioso.
 
A Livraria Ramiro Leão pretende ser um espaço de referência na área da cultura e desenvolver um novo conceito de trabalhar e sentir o livro, em pleno Alentejo. Isto é, despertar o prazer da leitura sem compromissos, onde o sofá convida a sentar, relaxar, enquanto a música ambiente vai tomando conta dos sentidos. A Livraria aposta em áreas que passam pelo turismo, gastronomia, arquitectura, decoração, património, história, revistas temáticas e genealogia, com uma incursão pelos livros antigos e usados, postais, mapas e curiosidades que suscitam algum interesse, seja objectos de coleccionismo, peças de cerâmica alusivas à região, que trazem inscritas toda a sabedoria dos nossos artesãos, ou ainda uma restrita selecção de vinhos produzidos na zona. A Ramiro Leão dispõe ainda de uma livraria on-line, onde pretende divulgar não só as suas edições mas também o conjunto de obras de outras editoras e que será periodicamente actualizado no link próprio.
 
Como tributo, o espaço contempla uma exposição permanente dedicada aos antigos Armazéns Ramiro Leão & Cª, casa fundada em 1888 no Chiado, em Lisboa, pelo gavionense Ramiro Leão, a que a Editora/Livraria foi buscar o nome. Páginas de um passado glorioso como esteio do futuro. "
 
 
 
José Manuel Gonçalves
Av. José Marcelino, 2 G, loja1
Apartado 53
6040-100 Gavião
Tel. 241.631.224
tlm. 965.030.247 – 927.518.831
publicado por Paulo José Matos às 00:01 | comentar | favorito
13
Abr 09
13
Abr 09

Assaltos "rurais" no Município - Impunidade à solta

Boa noite

 

Antes de lerem o que tenho para vos dizer, e caso tenham algum familiar no concelho ou amigo próximo é melhor ligar para ele e questionar se esta bem"?"

 

A impunidade anda à solta no concelho, e nos últimos dois meses, várias pessoas me tem abordado quando é que vou referir o GRANDE problema que é a onda de assaltos que está acontecer no concelho de Gavião. Pois bem, chegou o momento.

 

Após várias conversas  e pesquisa, eis o resultado:

 

 

1ª Perg. - Que tipo de assaltos estão a acontecer?

 

Resposta - São maioritariamente assaltos aos abrigos rurais, que servem de anexos nas hortas. São nestes abrigos que as pessoas depositam partes das suas colheitas e/ou sementes para futuro cultivo. Por vezes existe outro tipos de utensílios de valor (exemplo: motosserras)  e produtos químicos (exemplos: adubos).

 

 

 

2ª Perg. - Com que regularidade e desde quando se notou esta invasão?

Resposta - Muitos dos agricultores estão relatar casos regulares mesmo semanais desde Novembro de 2008.

 

 

 

3ª Perg. - Quais as zonas mais afectadas no concelho?

Resposta - A área de Comenda e faixa Amiera-Cova/Cadafaz foram as mais afectadas. A zona de Atalaia e Margem também tiveram casos mas menos regulares.

 

4ª Perg. - A GNR teve conhecimento das situações, mesmo que informalmente por pessoas que se deslocaram à esquadra, apesar de não deixarem registo da ocorrência?

Resposta - Sim, houve vários contactos principalmente de pessoas da localidades da Comenda e Cadafaz.

 

5ª Perg. - As autoridades (GNR e responsáveis do município) tendo perfeita consciência das ocorrências, demonstraram algum gesto de apoio e/ou pressão para que fosse dado especial destaque a este tipo de criminalidade?

Resposta - Não existe nenhum dado que a isso demonstre.

 

 

6ª Perg. - Que tipo de acção a GNR, faz localmente para demonstrar um sentimento de segurança à população?

Resposta - A GNR, faz essencialmente acções preventivas de combate ao excesso álcool, em especial aos fim-de-semana "fechando" totalmente as localidades onde existem festas oficiais e não oficiais. A segurança de proximidade (patrulhas) também existe, mas não está coordenada com os locais das ultimas ocorrências.

 

 

7ª Perg. - Que tipo de resposta a população se sente motivada para tomar face a este clima de insegurança?

Resposta - Alguns agricultores, demonstraram sentimentos de revolta e raiva. Sendo que em conversa lá diziam que ou deixam de semear as terras, ou vão começar a colocar pesticidas ou mesmo colocar armadilhas para "javalis" com outros fins...

 

 

 

Como podeis constatar algo vai mal... nos dias em que vivemos, ladeados por um ambiente de "crise empresarial", de incerteza nas rotinas diárias e a falta de emprego (e a existir com um carga precária dimensionada) as populações rurais sempre tiveram outros mecanismos de "sobrevivência"/"defesa", como é a agricultura de subsistência... neste momento até isso lhes ameaçam retirar!

 

Temos pois de lutar contra esta maleita e pressionar todas as autoridades locais a agir, desde a GNR ao municipio...

 

Quem pessoalmente quiser contribuir com o seu testemunho esteja à vontade...

publicado por Paulo José Matos às 01:49 | comentar | favorito