Intervenção programada enquanto vereador na Câmara Municipal de Gavião

 

Gavião, 3 de Novembro de 2010

 

 

Na ordem de trabalhos

 

 

Entrada: 26 Outubro 2010, Nº 10199, Proc. Nº 4.3.2

  • Pedido de Subsidio para a Festa de Natal de 2010

Situação pré-preparada, mas só apresentada sob certas condicionantes se apresentassem, facto que ocorreu.

 

 

"Abstenho-me desta votação com seguinte argumentário:

 

Vivemos tempos instáveis, e é preciso ter coragem política para ir contra aquilo que vulgarmente se designa como benefícios adquiridos.

 

A proposta de pedido de subsídio para a festa de Natal de 2010, dos Serviços Sociais dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Gavião, cumpre com toda a dignidade a sua função, ou seja, realçar as dificuldades da captação de verbas para as suas actividades perante um aumento de colaboradores.

 

Podemos pois dividi-la em dois grandes tópicos:

1) Almoço de Natal

2) Prendas para os filhos dos funcionários

 

Realcemos a nossa atenção no 2 tópico, pois é em relação a essa que me têm sido transmitidas reservas por alguns funcionários que o nome não importa precisar. Ainda que não me queira imiscuir na boa gestão dos assuntos internos dos Serviços Sociais dos Trabalhadores, estes funcionários questionam-me como é que a Câmara continua a dar o seu aval para se gastar uma quantia tão grande com prendas, em vez de seguir o espírito cristão da festa, procurando apoiar alguém entre os associados que no momento esteja menos favorecido financeiramente, ou ainda alguma IPSS do concelho.

 

Da análise da documentação da proposta, referente ao ano de 2009 verifica-se que foi gasto 2697,81€ por 64 crianças o que perfez um rácio de 42,15 euros por prenda concedida.

 

Este valor parece-me pois elevado, atendendo às circunstâncias dos nossos dias e mesmo no respeito aos desempregados de média e longa duração, que existem no nosso concelho.

 

Assim proponho que se mantenha o mesmo montante de apoio ao nível do almoço (3875,40€), mas seja reduzido o montante de apoio para as prendas tendo como limite máximo 15 euros por criança."

 


 

Fora da ordem de trabalhos

 

  

"Trago-vos hoje dois temas.

 

1) No mês de Outubro, nos vários eventos em que estive, fui abordado por vários cidadãos sobre a má qualidade ou mesmo a ausência de sinal das telecomunicações móveis em grande parte do nosso concelho. Ainda que se trate de uma lacuna derivada do meio empresarial é particularmente importante para a vida das pessoas e até mesmo para os agentes económicos locais. Os nossos pontos turísticos estratégicos como é o caso da Praia Fluvial do Alamal e a Ribeira da Venda padecem destas dificuldades de forma gravosa, e mesmo as áreas populacionais como é o caso da freguesia de Margem e Belver.

 

Coloco aqui o alerta, para que este executivo, tal como fez pressão para os serviços de internet ADSL, também esteja atento a este tema e que lhe seja merecido a devida atenção.

 

2) A titulo de sugestão, e respondendo às interpelações, que algumas pessoas têm-me feito sobre se terão acesso à bolsa de estudo ensino superior da CMGavião, ao que tenho respondido que a resposta dependerá dos rendimentos das mesmas. Proponho que quando os prazos de candidatura derem início, seja colocado on-line no sitío oficial, um simulador (o mais fácil é um excel) em que à luz dos novos regulamentos permita as pessoas aferirem uma simulação simples. O exemplo do excel poderá ser: um casal com rendimentos categoria B e 1/2 filhos a cargo."

publicado por Paulo José Matos às 13:00 | comentar | favorito