Intervenção programada enquanto vereador na Câmara Municipal de Gavião

Caros,

 

Foi com alguma muita tristeza, que mais uma vez participei numa reunião de câmara em que não se respeita a opinião divergente de quem é frontal, de alguém que não se esconde numa conversa de café ou que não é pressionável por uma qualquer renovação de contrato de trabalho, quanto mais ter esta opinião em conta, seja ela sufragada por 694 eleitores (25%).

 

Reclamo vez atrás de vez, que seja gravada em áudio para que toda a população pudesse ouvir, as indelicadezas proferidas por quem devia ter uma atitude institucional.

 

É inacreditável, que indivíduos com responsabilidade possam passar uma reunião inteira a sussurar que “é para os ratos saberem”, “isto é alimento para ratazanasescudando este comportamento no simples exemplo de que se na Assembleia da República Portuguesa o se faz este tipo de apreciações, e sendo assim então temos é que estar preparados/habituados.

 

Mas voltando ao tema principal, hoje o ponto principal para a reunião era o debate do Orçamento para o ano económico de 2011.

 

Na ordem de trabalhos

 

Eis a minha análise política perante a introdução do documento do Orçamento Previsional 2011, que levei a debate:

"Gavião, 2 de Dezembro de 2010, 16 horas

Caríssimos senhores, trago alguns considerandos sobre este Orçamento

No tema, Grandes Áreas Estratégicas, foi modificado o ponto 3 – Induzir a Fixação Humana pela Promoção de Loteamentos Urbanos, sendo substituído por Apostar no Desenvolvimento Rural. Ora bem esta assunção, veio-me dar razão pois indirectamente percebeu-se que é pelo trabalho que se pode fixar pessoas e não o contrário. Como implicação directa, o projecto de loteamentos em Belver e de Margem deixam de existir nas prioridades municipais.

No tema, Áreas Prioritárias, foi modificado o primeiro ponto e onde era Investimento Industrial passou a estar Atrair investimento público e privado. Mais uma vez se percebeu que não são as grandes industrias a instalar-se aqui que tem sido a solução, e que esta aposta foi uma derrota, com efeitos visíveis no investimento da fábrica da cortiça, e o seu retorno numérico de empregos.

Nesta introdução do Orç. no ponto Cultura, o tema Biblioteca deixa de constar, e no detalhe do plano financeiro verifica-se que a alínea foi dês orçamentada (em relação ao Orçamento anterior) em 250.000€ previsonalmente para o ano de 2011, isto é, em vez de 400.000€ passou a constar 150.000€. Assim, a promessa que o Exmo. Sr. Presidente me deu aqui, a 7 de Abril de 2010, nesta mesma sala e replicando-me, chamando-me de Chico esperto/espertismo, por questioná-lo para quando é que o projecto Biblioteca avançava, indicando-me com toda a convicção que o projecto estaria pronto pelo 25 de Abril de 2011… pelo que li do orçamento, não é essa a conclusão que se retira.

No Orç. por parte da receita, verifico o caminho de empobrecimento que o concelho vai tomando. O governo socialista central (encabeçado pelo Primeiro-ministro José Sócrates) e a ausência de políticas realmente regenerativas para o sector empresarial no nosso concelho, levam a uma dramática receita no conjunto. Isto é, se em 2010 o valor previsional de receita, foi de 11.740.000€, hoje, passado apenas um ano depois seja no valor de 10.200.000€, ou seja, uma redução brutal de 1.540.000€.

No ponto 4.3, na questão do saneamento, e se há alguns meses atrás fiquei enormemente satisfeito com a apresentação do projecto de Transporte e Tratamento das Águas Residuais no Alamal, com construção da ETAR do Cadafaz, pela divisão de obras nesta reunião, hoje verifico, e é preocupante que o projecto pelo que o orçamento nos diz, não avance já em 2011 (1000€ orçamentado), estando apenas previsto para 2012 (225.000€ orçamentado). Esta situação pode certamente, por em risco o galardão de Bandeira Azul, pois é algo extremamente necessário que se adia, e num dos únicos pontos verdadeiramente turísticos que o concelho tem a par da histórica vila de Belver.

Outra bandeira de campanha política reforçada em 2009, era o Museu de Artes do Rio que agora se vê que orçamento foi avançado para 2012, depois de estar previsto terminar em 2010, e posteriormente como promessa de 2011.

Houve também mais uma promessa de Abril que foi feita mas esquecida ao cidadão Luís Viera (Comenda). Nessa reunião indicou-se que à data da elaboração deste plano seria tido em consideração os pontos museológicos / rupestres da sua freguesia, e feito orçamento a essa promessa, olvidada totalmente foi.

Quanto à Feira de Gastronomia/ Medieval de Belver, agora colocadas no mesmo bolo para serem alternadas nos anos uma com a outra, NÃO ACEITO, pois são situações perfeitamente distintas. Concordo com uma reformulação da feira de Gastronomia, talvez alterando a sua estrutura, ou mesmo cobrando um valor simbólico de 1€ por visitante, e estou disposto a debater este ponto, agora fazendo alternar nos anos, não posso concordar. Em relação, à feira Medieval de Belver, é na verdade é um acto cénico, é diferente e interessante, e por muita magoa que possa sentir ao dizer isto, muitos outros concelhos por esse pais fora de alguma forma, foram “copiando” este modelo, esta nossa iniciativa, o que faz com que o sua relação custo/beneficio tenha diminuído para ser todos os anos.

Por último, nesta introdução falou-se em apoio às Pequenas e Médias Empresas (sector Privado) mas neste orçamento de 10.200.000€ apenas está considerado 1.000€ (FAME), há aqui qualquer coisa que não está certamente bem.

Indico que terminei a minha intervenção."

VOTEI CONTRA ESTE DOCUMENTO.

 

Fora da ordem de trabalhos

 

"1 - Gostaria de saber qual o ponto de situação do município de Gavião sobre o comunicado da concessionária da A23 SCUTVIAS sob a colocação de pórticos de portagem no início do ano de 2011.

2 - Gostaria de demonstrar um sentimento de profundo pesar, pela forma indigna com os exmos senhores tem se feito expressar nesta reunião, nomeadamente usando expressões “é para os ratos saberem”, “isto é alimento para ratazanas”."

Como nota ao leitor dos meus textos, indico que à primeira pergunta sobre as portagens na A23, assunto que a todos os cidadãos afecta, nada foi respondido por nenhum dos membros do executivo municipal em funções executivas a tempo inteiro, ao contrário do ponto 2.

 

 

 



Nota acrescentada a 3-12-2010

 

Após reflexão, percebi que as "ligeirezas" insinuadas durante a reunião queriam afectar ou de alguma forma querer relacionar-me com o blog http://oratoqruge.blogspot.com - O RATO QUE RUGE, os pequeninos com VOZ(s), Que pelos vistos, incómodo está a causar. Até porque vai buscar coisas do passado que era impossível eu ter acesso ou conhecimento, nem que fosse pelo simples facto de eu ser um Jovem, e não ter nenhum familiar ao serviço do municipio.


Mais uma vez, indico que não conheço quem é a pessoa que está debaixo do pseudónimo. REAFIRMO que tudo o que escrevo, e levo a reunião de câmara é PÚBLICO e tem um nome - Paulo Matos, SEJA ENQUANTO VEREADOR OU NÃO, GOSTE-SE OU NÃO.

publicado por Paulo José Matos às 19:00 | comentar | ver comentários (2) | favorito