Um novo renascer para Portugal!

É irónico que a única promessa cumprida de José Sócrates seja a sua própria demissão, e que com isto ele fique sem o meu amado Poder.

 

 

«A oposição retirou todas as condições ao governo para governar. Por isso apresentei a minha demissão ao Presidente da República». Foi com esta declaração que Sócrates anunciou a sua demissão ao país, depois de a ter pedido a Cavaco Silva em Belém.

 

Agora que o clima político já acalma, eis que uma voz que desde há algum tempo se tem distanciado desta governação, fala em meu ver bem, pois é bastante peremptório sobre como chegamos aqui: 

 

 

 

Carrilho pede pois a José Sócrates que “dê provas de que não está agarrado ao poder”. Em declarações prestadas à TSF, Manuel Maria Carrilho revelou compreender os argumentos dos partidos da oposição, que quiseram encerrar este capítulo: “José Sócrates esteve seis anos no poder e o país está na situação em que está...”.

Agora, pede-se “desprendimento do poder” e uma postura de “homem de Estado”. Mas só José Sócrates saberá “se deve permanecer agarrado ao poder”, apesar de “ter falhado” nos mandatos em que “teve todas as condições”.

 

Agora aguardemos... os desenvolvimentos

publicado por Paulo José Matos às 19:46 | comentar | favorito