Intervenção programada enquanto vereador na Câmara Municipal de Gavião

Preambulo (Não apresentado na reunião de câmara)

 

Tendo bem presente os constrangimentos que o período eleitoral que se avizinha pode representar, foi imperativo esclarecer qual o nível de impacto (que a venda de falsas ilusões) ao nível concelhio pode representar.


 

Apresentado na reunião de câmara de hoje

  • Fora da ordem de trabalhos

Gavião, 6 de Abril de 2011

 

Caríssimo Presidente e Vereadores,


Hoje trago-vos apenas uma pergunta, que procura ratificar o máximo de transparência, na vida política da nossa comunidade.


Assim, e com toda a clareza questiono o executivo se no período eleitoral que se aproxima, este prevê inaugurar uma qualquer obra pública, tal como por exemplo a Biblioteca Municipal que está por abrir desde 2005 ou, ainda dar início ao programa de Habitação Social – PROHABITA, em que relembro que foi prometido a 25 agregados familiares uma habitação, e que segundo as vossas indicações já era para ter sido avançado em 2010, e não foi isso que se verificou.


Esclareço porém, que não sou contra a abertura da Biblioteca ou mesmo a doação das casas a quem precisa delas, ou a abertura de uma outra qualquer obra pública que não esteja a ser por mim enumerada, pois se estão planeadas é porque certamente fazem falta a esta comunidade.


No entanto, a minha integridade política impõe-me colocar esta questão para descargo de consciência, pois quero acreditar que todos os esforços feitos no município são exclusivamente em prol da sociedade, e das vantagens que esta adquire com os mesmos, independente de todas as conjecturas que os calendários eleitorais intrinsecamente tentam promover.

 

 

 


 

publicado por Paulo José Matos às 12:00 | comentar | ver comentários (2) | favorito