Intervenção programada enquanto vereador na Câmara Municipal de Gavião

Preambulo (Não apresentado na reunião de câmara)

 

Nós últimos dois a três meses, tenho recebido uma crescente de correspondência fisica e virtual nos mais diversos moldes.

 

Posso mesmo dizer que o período eleitoral foi propício à população manifestar-se sobre assuntos locais e dessa forma a mim dirigidos, até porque eu lhes garanto uma coisa que ninguém mais pode garantir neste momento: a CONFIDENCIALIDADE e a sua APRESENTAÇÃO na reunião do executivo de câmara.

 

Não há aqui de facto papas na língua, e o meu dever que é representar a população é exercido com a total disponibilidade a TODOS!

 

Por último, refiro que após a apresentação dos pontos em baixo descritos, ouvi atentamente as explicações de todo o executivo, mas não posso de deixar de partilhar convosco algumas da ironias lançadas pelos mesmos dado que as reuniões são públicas e estas mesmas afirmações terem sido produzidas nesse espaço PÚBLICO:

 

Presidente Jorge Martins - O vereador não é o provedor do cidadão, está a cumprir mal o seu dever de vereador.

 

Vice Presidente Germano Porfirio - É inacreditável a apresentação destes assuntos, resultantes do Triuviráto que se reúne às Sextas, Sábados e Domingos à noite, nos pubs e cafés!

 

Vereador Francisco Louro - Você é um irresponsável. Se eu fosse o presidente do sindicato dos funcionários, eu punha-lhe um processo em tribunal.

 

Vereador Manuel Morais - Se não apresentar provas, e demonstrar correspondência com a realidade e quem lhe deu essas informações, vou passar a chamar-lhe mentiroso.

 


 

Apresentado na reunião de câmara de hoje

  • Fora da ordem de trabalhos

Gavião, 15 de Junho de 2011

 

Caríssimo Presidente e Vereadores,

 

Trago-vos hoje, diversas matérias que recebi ao longo das últimas semanas e que afectam diversas responsabilidades aqui feitas representar por vossas excelências.

 

1) Começo por indicar uma sugestão de actividade a adicionar ao programa da XX (vigésima) Feira de Gastronomia de Gavião, procurando com isso criar um foco de inovação e ao mesmo tempo incorporar um actividade perdida na sociedade gavionense ao nível global de concelho, e que sem o apoio da câmara dificilmente retornará um acontecer destacadamente no nosso concelho.

 

Acontece que tenho recebido várias missivas desde séniores a juniores, estranhando a ausência desde há alguns anos para cá do evento tauromáquico presente na até então Festa de Verão de Gavião. Sem me querer envolver em estratégias dos próprios organizadores, que até penso compreender no sentido em que as novas apostas que apenas procuraram compatibilizar o orçamento da festa, adicione-se o facto do espaço junto ao Cine-Teatro estar hoje e bem, reabilitado.

 

Proposta: Assim, proponho que durante o dia de sábado se realize um pequeno evento tauromáquico por forma a abranger esta carência de actividades culturais neste concelho do Alto Alentejo, e que pela quantidade de missivas recebidas, tantos adeptos vem satisfazer.

 

Recordo ainda que o município de Gavião é dos poucos concelhos nesta faixa de Portugal que não tem recinto próprio, não querendo com isto indicar a contrução de um, mas que contrastando nos exemplos de duas localidades de pequena dimensão a menos de 20 km, como é o caso de Amiera do Tejo e Arez.

 

2)

2.1 O meu segundo ponto, não é mais que um profundo lamento e uma questão incisiva, sobre o ocorrido a dia 6 de Maio de 2011, no qual a praia Fluvial do Alamal não revalidou a atribuição de Bandeira Azul.

 

Esta situação deu todo o relevo à minha intervenção de 3 de Dezembro de 2011, em que indiquei que o adiamento da construção da ETAR do Cadafaz seria um contributo decisivo para a perda deste galardão, em caso de candidatura, e que durante tanto tempo vós apregoastes e perece-me que de repente o executivo tê-lo-á deixado cair.

 

Questão: Assim, questiono-vos se existe algum procedimento interno de averiguação sobre o motivo para a praia fluvial do Alamal não ter revalidado a Bandeira Azul, ou se caso contrário sabendo vós o motivo, peço-vos que seja divulgado de forma transparente.

 

2.2   Ainda na questão do ponto turístico que se pretende que seja o Centro Integrado de Lazer / Praia Fluvial do Alamal, verifica-se uma ausência de transporte por parte de todo o concelho, e por esse mesmo facto tenho recebido imensas reclamações, pois por paradigmático que seja, algumas dessas reclamações vêm de séniores que me dizem ironicamente, “É mais fácil ir a praia da Nazaré com a junta, que ir à nossa praia fluvial, que nunca lá fui”.

 

Proposta: Assim, proponho que no mês de Agosto se inicie um projecto piloto de transporte, caracterizado pela utilização de uma carrinha de 9 lugares, com a regularidade de carreira ao inicio da manhã e uma outra à tarde, percorrendo todas as sedes de freguesia, com destino a praia fluvial do Alamal durante os dias úteis, e de forma gratuita para os titulares do cartão do idoso e cartão jovem, e subsidiada parcialmente a todos os outros utentes.

 

3)As populações de Vale da Vinha, Ferraria e o núcleo Vale de Bordalo / Vale de Gaviões, remetem-vos todo o respeito e gratidão responsável pelo facto da sua estrada estar a ser renovada, no entanto dirigiram-me uma preocupação geral que não posso deixar de indicar, até porque ainda estaremos a tempo, de corrigir o facto.

 

Proposta: Acontece que está a ser o reabilitado o cruzamento entre as três povoações atrás referidas, mas mais uma vez se está a construir uma solução tipo – cruzamento triangular, quando a alternativa proposta até por pessoas entendidas na matéria passaria por uma rotunda.

 

Desta forma até se limitaria a velocidade no local, e recorde-se que este mesmo local já derivou num acidente viário com a gravidade máxima de um falecimento.

 

4) O quarto ponto, não é mais que um alerta sobre a segurança da nossa comunidade. O facto é que os proprietários agrícolas da nossa região têm sido saqueados de forma constante e consecutiva nos últimos dois meses, e a vaga tem sido tão extensiva e despreocupada que inclusivé e como bem sabeis, atingiu a igreja de Vale de Grou numa vertente mais comunitária.

 

Proposta: É pois necessário tomar o pulso à situação, e as pessoas estão expectantes de uma palavra do poder político.

 

 

5)

5.1 A degradação que se acentua no edificio das piscinas municipais, já por diversas vezes foi um tema pela minha pessoa, abordado nesta reunião, mas mais um vez chama o alerta para as potenciais condições de insalubridade alí existentes. É que a ausência de condições tem aumentado a contestação e isso nota-se no número de reclamações que recebo, e neste caso porém a gravidade é a própria saúde das pessoas.

 

5.2 Não fugindo do tema base, temos ainda uma questão que sobresaiu recentemente da natação de competição pelos nossos jovens. Fui alertado por diversos pais da falta de apoios em relação às provas de natação em que o jovens participam, mesmo em comparação com anos passados, ou mesmo em comparação com outras autarquias.

 

Acho esta atitude de uma inconsistência crassa pois se no passado, nesta autarquia houve menções honrosas a esta juventude que ganhou medalhas na natação, de repente parece que tudo se esfuma.

 

Proposta: É pois necessária uma revisão de todo o processo envolvido, para que se volte a ter um alto padrão de qualidade na prestação dos serviços de apoio aos nossos jovens.

 

6) E como estamos a falar em jovens, soube ontem que estão a existir marcações prévias oralmente para as férias desportivas e só posteriormente efectivadas, quando o procedimento do cartaz oficial, indica que as participações são efectivadas no acto da entrega da inscrição.

 

Ora, não fazendo má fé de quem acusa nem de quem é acusado, acredito que os assuntos se resolveram da melhor forma.

 

Proposta: Assim, acredito que todos os candidatos possam estar em pelo menos uma das fases, em detrimento de todas as candidaturas que as crianças estejam inscritas nas duas fases, dando dessa forma a oportunidade a todos.

 

7) Por último, e porque nunca mais foi assunto nesta reunião questiono se possível qual o ponto da situação do contencioso jurídico com o Autocarro e com os contentores públicos de lixo enterrados.

 

Tenho terminado.

 


 

publicado por Paulo José Matos às 14:30 | comentar | favorito