Intervenção programada enquanto vereador na Câmara Municipal de Gavião

 

Nota - As reuniões de câmara são públicas!

 

Caros amigos,

 

Hoje a reunião de câmara foi sem dúvida especial.

 

Por muita ou pouca razão que eu tenha na apreciação que coloquei ao executivo e que está transcrita em baixo, por muito teórica ou prática ela seja, não puderam deixar de me chamar à atenção, nomeadamente apelidando-me de carteiro, e que eu até nem levo a mal... Mas o mais curioso é foi a primeira reunião em que não me pude conter e tive de começar a rir (MESMO), correcção todos os elementos presentes naquela reunião desmancharam-se a rir... então não é que a meio de um ataque político, dirigido pelo Vereador Francisco Louro, sobre o as reformas do governo do meu partido PSD está a por em marcha, (aqui para nós para resolver a trapalhada de contas públicas que o governo PS deixou) este coloca propositadamente a tocar no seu telemóvel a música de Grândola Vila Morena... hilariante meus senhores!

 

Só posso dizer que assim, é muito mais fácil ouvir as criticas àquilo que eu levo para debate ao executivo! ahahahahahha {#emotions_dlg.lol}

 

 


Gavião, 7 de Setembro de 2011

 

Caríssimo Presidente e Vereadores,

 

Hoje, a minha intervenção irá pautar-se pelo início de uma análise de benchmarking com outros concelhos que sempre procurarei fazer ao longo do tempo, e que agora trago os resultados.

 

A proposta de redução de despesa, servirá também como refutação às palavras do vice-presidente Germano Porfírio, que neste mesmo local me instigou a rever os meus apontamentos ou intervenções pois os considerou sempre de carácter despesista. Essas declarações não pensadas não tiveram certamente em conta o meu apoio expresso aos cortes em termos de dias programação tanto à Feira Medieval bem como à Feria de Gastronomia, ou ainda o apoio expresso em tornar bienal a Feira Medieval.

 

Coloco-vos desta forma, o resultado de um estudo que tenho desenvolvido em paralelo para conhecer melhor a actividade dos serviços da câmara em termos operacionais, e encontro várias situações que julgo ser importante desenvolver. Trago-vos hoje uma medida que a ser implementada, e após os devidos protocolos a efectuar com as juntas de freguesia permitirá uma poupança anual mínima de 1.500€ / ano.

 

Tendo em conta os seguintes dados

- O preço médio de um Litro de Gasóleo é 1,40 €

- O transporte operacional em veículo municipal efectua um consumo combinado estimado de 8 litros/100km

Logo, o custo por cada 100km é de 11,2 €

 

 

Actualmente e tanto quanto me foi dado a conhecer, todos os funcionários necessitam de efectuar o registo de entrada ao serviço no estaleiro da câmara. Isto julgo acontecer mesmo para aqueles que irão efectuar serviço na freguesia de onde provêm. Ora tomando o exemplo extremo de um funcionário originário da Comenda a fazer serviço na Comenda, esta situação faz com que os serviços da câmara nesse dia tenham de fazer mais 72km, que aquilo que era o desejável.

 

Caso exemplo

1)     Recolher o funcionário em Comenda para o estaleiro de Gavião – 36 km;

2)     Entregar o funcionário no local de obra – 36 km, valor acumulado de 72 km;

3)     Recolher o funcionário para o estaleiro de Gavião – 36 km, valor acumulado de 108 km;

4)     Entregar o funcionário no local de origem – 36 km, valor acumulado de 144 km .

 

Se neste caso extremo de apenas 1 destino ocorrer em pelo menos metade do ano, isto é, em 183 dias o resultado de 13.176 km desperdiçados será o valor 1.476 € em Gasóleo, fora custos de manutenção e o custo hora homem do motorista necessário para o transporte.

 

Por este exemplo pode não parecer muito, mas temos de ter em atenção todos os trajectos para onde o município tem trabalhos a decorrer e talvez o valor suba para consideravelmente.

 

Proponho então que os funcionários municipais que efectuam trabalhos nas freguesias de onde são originários, possam efectuar o registo do dia de trabalho na própria junta de freguesia, por protocolo a estabelecer entre a Câmara Municipal de Gavião e todas as juntas de freguesia do concelho, permitindo assim agilizar o processo e conter os gastos.

Neste protocolo, pelo serviço prestado na junta de freguesia seja o de transporte ou apenas o administrativo, seria dado um valor pecuniário variável, que nunca poderia ser superior ao custo de transporte até à sede no município.

 

Para análises futuras, gostaria de saber qual o custo ao município por hora de iluminação pública, se existe custo de alteração de horário, e se o processo de alteração é simplificado e rápido, ou não.

 

O vereador

Paulo José Estrela Vitoriano de Matos

 


 

 

publicado por Paulo José Matos às 12:55 | comentar | favorito