Intervenção programada enquanto vereador na Câmara Municipal de Gavião

Preâmbulo (não apresentado em reunião de câmara)

 

Caros cidadãos,

 

Hoje tentei ter o máximo de cuidado de não ferir susceptibilidades principalmente as do foro pessoal do Vereador Germano.

 

Reforço que mais uma vez não está em causa a pessoa, mas sim as duplas funções que apresenta: vereador com a pasta do desporto e cultura e ao mesmo tempo presidente do Clube Gavionense, que é só a associação que mais apoios financeiros municipais recebe, em termos comparativos com todas as outras instituições associativas do concelho. 

 

Por outro lado, a minha intervenção também deve ser entendida, pelo facto de no passado desta associação em particular, já ter tido efectuado um apoio diversificado aos jovens noutras modalidades desportivas, que não exclusivamente o futebol, como por exemplo o Andebol e Natação.

 

Por último, é devo indicar que a reunião hoje começou às 10:40 e acabou às 13:40... três horas!!! Foi duro!

 


Intervenção programada enquanto vereador na Câmara Municipal de Gavião

 

Gavião, 15 de Fevereiro de 2012

(Lido na integra na reunião do executivo)

 

Caríssimo Presidente e Vereadores,

 

Antes de mais gostaria de prestar-me a uma declaração de interesses.

 

Como referido na campanha eleitoral autárquica de 2009, valorizo e relevo o trabalho gratuito de todos os cidadãos no associativismo que existe no nosso concelho.

 

Não poderia ser diferente para o associativismo desportivo. Porém, não me deixo ludibriar, e tal como em outros momentos o disse aqui, hoje o repito, eu apoio principalmente o desporto direccionado para a juventude.

 

É pois uma opção política tomada em consciência, pois tenho a certeza que os cidadãos compreendem que a promoção do desporto sénior é uma vertente interessante na nossa sociedade mas demasiado cara para ser suportada quase na íntegra por fundos públicos, ainda mais num município como o nosso, que é tão pouco sustentável dada a ausência de meio empresarial significativo.

 

Como diz e bem, o nosso actual Ministro da Solidariedade Mota Soares, “Um euro mal gasto (…) é um euro que é retirado às pessoas mais frágeis e que mais precisam”.

 

Concluo a minha declaração de interesses indicando que em particular o Clube O Gavionense tem feito um trabalho meritório no desporto jovem, sendo que nesse aspecto, eu volto a frisar que o apoio, aliás como sempre apoiei. No entanto, o financiamento pago pelos impostos de todos nós, enquanto contribuintes também tem servido a para uma alavancagem financeira desproporcionada ao nosso contexto local, em que a soma do financiamento destes três últimos anos, só em apoios directos já superou os 150.000 €.

 

Já tendo isto em consideração, relembrando ainda, a minha intervenção neste espaço ocorrida a 4 de Novembro de 2009 na sua acta 20, assim reforço que é minha opinião pessoal, que o presidente do clube desportivo supra citado, por impedimentos morais e éticos nunca poderia ser a mesma pessoa que nesta autarquia tem a seu cargo vereação de âmbito desportivo e cultural, como acontece.

 

Dito isto, no final de Janeiro foi distribuída a Agenda Cultural do município de Gavião.

 

Ora, cumprindo a já má tradição da agenda cultural ser distribuída quase no final do primeiro mês (alvo) do calendário que deveria ser objecto de publicitação, desta vez surgiu outro grande problema, e que parece-me colocar em causa a existência da própria agenda.

 

Na primeira reunião de Fevereiro, eu não trouxe o tema a este espaço nobre de debate, pois pensei que fossem opiniões casuísticas, mas assumo aqui que estava errado, e a verdade é que em três semanas recebi quase meia centena de indignações, o que para a minha pessoa é sinal que baste para também eu me questionar.

 

O problema está à vista de todos, e ao desfolhar a agenda verifica-se que em 25 actividades previstas no período de Janeiro a Março, apenas 6 não se tratam de anúncios de jogos de futebol.

 

Isto, meus senhores, para quem apregoa que faz uma gestão rigorosa dos dinheiros públicos, e não tem atenção a estes euros mal gastos numa publicação com tão pouco interesse, e em parte, já fora de validade, é uma desconsideração para com todos os cidadãos gavionenses.

 

Proposta:

Assim, só me resta propor duas situações:

  • ou Gavião ganha uma verdadeira agenda cultural, sem excessos mas real, em que por exemplo trimestralmente se criem condições de trazer teatro amador ao cineteatro Francisco Ventura,
  • ou então acabe-se de vez com a impressão da agenda cultural neste formato e sempre que houver actividades se publicite ao nível do website oficial do município e com a colocação de mini cartazes próprios e específicos, alías como já é hábito, o que até demonstra uma duplicação de gastos em publicidade que assim se eliminaria.

Refiro novamente, que toda esta intervenção tem como único propósito que não haja um único euro mal gasto nesta autarquia para que quem precise dele, o consiga obter em tempo útil e com o máximo benefício.

 

Tenho terminado.


 


publicado por Paulo José Matos às 14:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito