O melhor discurso de hoje, foi o de encerramento - Paulo Portas

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, disse hoje que Portugal está “bem mais longe do precipício” do que há um ano e defendeu que o país só tem margem de manobra junto dos credores internacionais se tiver credibilidade.

 

“Dizer que Portugal andou para trás este ano só é verdade no sentido em que Portugal estava, há um ano, à beira do precipício”, disse o número dois do Governo, no encerramento do debate do Estado da Nação.

Contrariando o discurso da oposição de que o país está pior, Portas começou por questionar os deputados se, “um ano depois, Portugal está mais longe ou mais perto de uma declaração de insolvência”.

O ministro considera que a percepção internacional sobre Portugal melhorou e deu como exemplo os elogios das instituições internacionais ao cumprimento do programa de assistência.

“Há um ano era frequente, mesmo obsessivo, fazer equivaler Portugal e a Grécia. Um ano depois essa teoria simplesmente desapareceu”, afirmou. “É um triunfo para Portugal ser agora mais raro ouvir menções menos elogiosas.”

O ministro contrapôs também a ideia de que Portugal tenha de flexibilizar o programa de assistência, dizendo que não é “prudente” o país “vacilar no essencial ou dar guinadas radicais no cumprimento”.

Portugal tem “mais margem de manobra para melhorar o programa com a credibilidade que conquistámos” do que se estiver “ sistematicamente a pôr tudo em causa: um dia o prazo, outro dia as condições, noutro dia as medidas”, defendeu.

“A nossa credibilidade é a nossa margem de manobra”, disse.

O ministro encerrou o debate com a promessa de que “Portugal estará melhor no final desta legislatura do que o Portugal que recebemos no início”.

 

Fonte: http://www.publico.pt/Pol%C3%ADtica/portas-diz-portugal-esta-bem-mais-longe-do-precipicio-1554485

publicado por Paulo José Matos às 21:05 | comentar | favorito