27
Ago 13
27
Ago 13

Lançamento do site Um Novo Gavião, com a entrevista a João Manuel

Lançamento do site www.UmNovoGaviao.pt com

João Manuel – Uma vida ao serviço da Comenda

 

«....a estratégia de desenvolvimento da Comenda com uma Zona Industrial às moscas, transformando uma oportunidade de geração de riqueza num lote de terreno abandonado ou a própria gestão do Parque da Ribeira da Venda que podia ser um local de excelência na promoção do Concelho desde que estivesse sob a gestão da Junta de Freguesia...»

 

 

João Manuel, 61 anos, comerciante de gado e agricultor, um homem ligado às suas gentes e defensor intransigente da sua freguesia.

 

Há 34 anos que defende as cores do Partido Social Democrata na Comenda nos mais diversos órgãos autárquicos, tendo sido 3 vezes candidato à Junta de Freguesia da Comenda, exercendo o cargo de Secretário da Junta no mandato 1994-1995. A sua vida também está ligada ao associativismo, nomeadamente à Associação Desportiva IFAL da Comenda.

 

A sua entrada no mundo da política está intimamente ligada a uma personagem histórica que teve um desfecho trágico, Sá Carneiro, “um homem que me inspirou na sua luta por um pais diferente, evoluído e que nunca fugia das suas responsabilidades. Era isso que me inspirava nele ao contrário de outras figuras ligadas ao Partido Socialista. A defesa da Comenda e das suas gentes foi inspirada nessa visão”, conta-nos João Manuel.

 

O gosto pela participação cívica foi sobretudo exercido “pela vontade que tinha em acompanhar o desenvolvimento da minha terra. Queria que a Comenda tivesse as melhores condições e gostava de estar na discussão das melhores estratégias para tornar a minha freguesia, o meu concelho num dos melhores do Distrito. A minha atividade profissional permitia-me viajar e conhecer outros locais, permitindo-me opinar sobre algumas situações que não considerava tão corretas e dando as soluções que eu pensava que eram as melhores.”

 

Em relação ao desenvolvimento que o Concelho de Gavião teve nos últimos anos, João Manuel tem uma opinião muito incisiva e direta, visto que “não vi grandes desenvolvimentos no Concelho, limitámo-nos a ser reativos perante as adversidades, nunca conseguimos impor prioridades na ação e desenvolvimento das freguesias do Concelho. Exemplo disso é a estratégia de desenvolvimento da Comenda com uma Zona Industrial às moscas, transformando uma oportunidade de geração de riqueza num lote de terreno abandonado ou a própria gestão do Parque da Ribeira da Venda que podia ser um local de excelência na promoção do Concelho desde que estivesse sob a gestão da Junta de Freguesia, não esquecendo o Mercado na Comenda, que também corre riscos de abandono por falta de manutenção. Estes dois equipamentos, não estão mais que em autogestão, e isso é pouco, muito pouco para a Comenda e as suas aspirações.”

 

O mesmo se aplica em relação à atual gestão da Junta de Freguesia ”com uma atuação amorfa, sem organização, visão ou sequer estratégia de ação. Não conseguem, sequer, ter a freguesia limpa. Não auguro grande futuro à freguesia com a continuação de um Executivo desta qualidade.”

 

Por último, e enquanto integrante da lista que vai concorrer à Assembleia Municipal, João Manuel definiu os seus grandes objetivos para os próximos quatros anos, caso seja eleito, nomeadamente “ a defesa intransigente dos superiores interesses da Comenda, contribuir para que o Concelho, finalmente, avance na direção certa e lutar para que o Gavião tenha uma visão mais abrangente e integradora da sociedade.

publicado por Paulo José Matos às 23:00 | comentar | favorito
24
Ago 13
24
Ago 13

Ciclos Económicos em Gavião - Uma Nova Abordagem por Paulo Matos

BanifMais

 

2008 - 2009

 

 

 

Caixa Geral de Depósitos

2009-2010

 

 

Ministério da Saúde (Porto e Lisboa) - ACSS

2011

 

 

EDP (Sacavém e Lisboa)

2011

 

  Mota-Engil

2012 - 2013

 

 

Os ciclos económicos produzem rotineiramente uma alavancagem de partes da sociedade a condições de vida superiores à que havia anteriormente. Já a forma e a distensão da abrangência civil, depende muito do ciclo económico e sob que revolução tecnológica se está a induzir desenvolvimento.

 

Quando há uns anos, atrás houve pessoas a dizer, que a informatização das indústrias iria destruir a nossa sociedade ao nível da Emprego, errou. Tal como acontece na bolsa, em que parte dos investidores tem uma estratégia de diversificação ampla da sua carteira, e compram ações de empresas que vendem bens alimentares enlatados cheios de químicos, também compram ações pertencentes a empresas de produtos biológicos e frescos.

 

Assim da mesma forma, também nos ciclos económicos há atividades profissionais que perdem margem, mas outras que a ganham, e o essencial e fundamental, é antecipar estes movimentos.

 

Ora o concelho de Gavião foi terrivelmente enclausurado pela falta de visão de alguns dos seus políticos, principalmente o atual presidente, seja em parte porque a formação técnica é insuficiente e fora da área das ciências empresariais, mas porque também, promoveu a promessa “trabalho estável” assente no Estado, garantindo que esta condição seria imutável por décadas, uma visão que foi normal no pós 25 de Abril, mas que teria de ter evoluído, pelo menos ,desde o inicio do século XXI.

 

Por outro lado, e de forma global (não especificamente ao Gavião), a falta de cidadãos nos cargos políticos sem a experiência profissional desenvolvida em ambientes altamente competitivos não pode permitir a abertura de horizontes, nomeadamente a indução nas sociedades da existência de novas profissões, tal como a minha própria de Software Tester.

 

Ora a sociedade, e concretamente o mercado de trabalho de hoje mudou, e muitos ficaram para trás, no bloco dos desempregados.

Como era previsível, o trabalho administrativo local, passou para trabalho administrativo global, ou seja, fazemos tarefas administrativos que podem ter como destinatários clientes no mundo inteiro, ainda que os produtos/serviços em venda sejam locais.

 

Porém, nem todas as pessoas conseguem realizá-los, e nesse sentido este tipo de profissões, de base tecnológica foram fixando-se em Lisboa, e apenas agora, na última década, estão a entrar noutras comunidades como o Porto/Braga/Covilhã. 

 

É pois uma oportunidade única de trazer esse desenvolvimento, que se está agora a distender por Portugal, para o concelho. Desta forma, poderemos num curto espaço de tempo, induzir no mercado de trabalho uns 50 postos de trabalho de base tecnológica, que irão alavancar certamente o meio envolvente, como os pequenos trabalhos de construção civil e o sector HORECA (Hotéis, restaurantes e cafés).

 

Esta transformação, que está ao alcance de um voto, pode fazer a diferença entre o concelho de Gavião morrer ou revolucionar-se e amanhã termos um NOVO futuro.

 

Vamos lutar para ter um NOVO ciclo económico para Gavião, CONSIGO E PARA SI.

 

Gavião, 23 de Agosto de 2013

Paulo Matos

publicado por Paulo José Matos às 10:00 | comentar | favorito
23
Ago 13

Clipping - PSD Gavião - Jornal Alto Alentejo

Paulo Matos quer “Um Novo Gavião”
«A continuidade desta política amorfa
não serve as necessidades do futuro»

 

No dia 7 de Agosto, pelas 20 horas, a candidatura do PSD – “Um Novo Gavião” apresentou os seus candidatos aos diversos órgãos autárquicos do concelho do Gavião na Casa de Povo do Gavião.

 

Perante uma sala cheia passaram pelo púlpito o presidente da Distrital do PSD de Portalegre, Cristóvão Crespo, que relembrou o percurso do candidato Paulo Matos desde 2009 e o trabalho realizado desde então na vereação, «acumulando a experiência necessária para poder ser um presidente da Câmara com qualidade e que possa acrescentar a visão de futuro que tem faltado ao concelho de Gavião».

 

Seguidamente, falou a candidata a Assembleia Municipal, a professora Maria José Ferreira que realçou que a sua participação se deve «à experiência acumulada ao longo da vida e porque acredita em causas nobres» decidiu abraçar o projecto capaz de criar “Um Novo Gavião” com «paixão e com o coração».

 

Hugo Soares, presidente da Comissão Politica Nacional da JSD, também esteve presente, realçando que será «com muito orgulho que no próximo dia 29 de Setembro, irei marcar presença com o Paulo Matos para festejar Um Novo Gavião”».

 

O secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros, Luís Campos Ferreira, outro dos convidados, fez questão de realçar a transversalidade da candidatura, «que vai buscar pessoas de vários quadrantes, não se preocupando com as suas origens políticas, mas sim com a sua vontade em servir o concelho, ignorando os clubismos partidários. Assim, se constroem sucessos. Assim, é possível trazer desenvolvimento aos lugares».

 

Por último, o candidato Paulo Matos que começou por agradecer a presença de todos numa noite histórica para o PSD local. Cumprimentou os candidatos que fazem parte da sua equipa, Artur Semedo para a União das Freguesias de Atalaia e Gavião, Vítor Claro para a Freguesia de Belver, Manuel Matos para a Freguesia de Margem e Manuel Chambel para a Freguesia da Comenda.

 

Seguidamente realçou a «necessidade de uma nova visão com sentido estratégico para a

criação de riqueza e de emprego. A promoção de um novo modelo de desenvolvimento económico para o concelho, tem de ser mais assente nas novas dinâmicas e tecnologias.

 

Este é o nosso desafio e ambição. Sabemos o que queremos e como fazer».

 

Analisando o passado, declarou que «a continuidade desta política amorfa não serve as necessidades do futuro, nem dos habitantes do nosso concelho. A forma interactiva de fazer política com a população irá ser uma marca forte da candidatura “Um Novo Gavião” onde «todos os projetos de intervenção no concelho serão alvo de consulta popular séria».

 

Paulo Matos concluiu que o «concelho precisa de uma nova cultura politica que não olhe para a sua permanência interminável no poder como o grande objectivo».

 

publicado por Paulo José Matos às 09:00 | comentar | favorito
23
Ago 13

Clipping - CDU Gavião - Jornal Alto Alentejo

CDU apresenta Manuel Delgado
«A autarquia de Gavião nada tem degradado,
mas também nada tem realizado»


 

A CDU apresentou, a 2 de Agosto, no Auditório da Biblioteca Municipal, a sua candidatura à Câmara de Gavião.

 

Na cerimónia, que contou com a presença do deputado do Partido Ecologista “Os Verdes”, José Luís Ferreira, Manuel Delgado, cabeça-de-lista à Câmara de Gavião, mostrou-se honrado pelo convite da CDU e assumiu que a sua candidatura «tudo fará para  não  defraudar  a  confiança,  ou  pelo menos as expectativas, que estamos a despertar em todos vós».

 

Perante algumas dezenas de simpatizantes, o candidato revelou que aceitou o convite da CDU «porque me revejo e subscrevo as aspirações que esta candidatura tem para a governação deste município».

 

Parafraseando um estudo de um investigador do Instituto de Ciências Sociais, Manuel Delgado mostrou-se apologista da lei de limitação de mandatos, argumentando ainda que esta é a forma «de prevenir os fenómenos do abuso de poder, corrupção e clientelismo no exercício das funções do poder autárquico».

 

Posto isto, o candidato lamentou que, «consultadas as listas do PS às autárquicas 2013, para os órgãos locais do concelho de Gavião, constata-se que, na lista à Assembleia Municipal, o actual presidente da autarquia eleito pelo PS e ainda em funções, está tão agarrado ao poder, que é o cabeça de lista do PS àquele orgão deliberativo».

 

«Esta candidatura à Assembleia Municipal do autarca em fim de mandato, embora legalmente válida, não oferece as garantias de legalidade a que se deve pautar um autarca, após sair do órgão executivo do Município, tais como a isenção, desinteresse e imparcialidade (…) pelo que, apenas lhe interessa o poder politico local a qualquer preço, não olhando nem a meios nem a fins, para se encontrar inserido no meio autárquico onde exerceu a sua hegemonia durante 12 anos, privilegiando uns, em detrimento de outros munícipes».

 

E criticou ainda o facto de a lista socialista à Assembleia de Freguesia de Belver ser encabeçada pela esposa do actual presidente da Câmara. «É um direito que lhe assiste, mas a ética politica, e na situação em concreto, assim o reprova. Estamos perante uma situação de nepotismo».

 

De acordo com Manuel Delgado, o actual elenco camarário tem procurado, nos primeiros meses deste ano «suster a anarquia, reparar danos e tentar salvar a sua reputação». No entanto, e na sua opinião, «já é tarde pois os munícipes devem daí tirar as suas ilações e tomar as decisões necessárias à sua aniquilação».

 

«A autarquia de Gavião, nada tem degradado, mas também nada tem realizado. O imobilismo é mais nefasto que a actividade correctamente exercida. O imobilismo compromete o futuro, tem mais de insensatez do que bom senso», declarou, acrescentando que «a CDU não defende a anarquia, não defende o fixismo. Defende o conceito de uma sociedade aberta participativa, virada para o desenvolvimento».

 

Na opinião do candidato, «só com uma mudança de política e com a CDU o concelho de Gavião poderá ser um pólo atractivo ao investimento e fixação de empresas, em detrimento das políticas do PS, que nada fizeram em cerca de duas décadas para desenvolver o município».

 

Mesmo consciente das dificuldades  que o poder local atravessa, Manuel Delgado assumiu que uma das prioridades da sua candidatura é «fixar e atrair mais pessoas para criar mais riqueza e postos de trabalho».

 

«Pretendemos ainda desenvolver a democracia participativa, incentivando a participação activa dos cidadãos, contra a resignação e a acomodação, privilegiando uma participação orientada pela positividade e assertividade – não só apontar os males e os erros, responsabilizando os outros por eles, mas, principalmente, apontar caminhos alternativos que sejam mais eficientes e abrangentes.

 

Assistimos hoje a níveis de exercício da cidadania e de participação das pessoas como raramente se viu.

 

Essa cidadania activa não se verifica no concelho de Gavião. Precisamos de passar à fase mais difícil, que é através das associações locais intervir junto dos cidadãos para que possam exercer o seu livre direito de cidadania, estando mais bem informados sobre as políticas de desenvolvimento do concelho», concluiu.


publicado por Paulo José Matos às 08:30 | comentar | favorito
21
Ago 13
21
Ago 13

...serás sempre recordado "Pai Herói"!



Hoje a sociedade gavionense ficou mais pobre, o "pai herói" deixou-nos.


Um até já...


Sinceras condolências à família.
publicado por Paulo José Matos às 18:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito