Quercus sugere para este Natal

 

 

Quercus oferece conselhos para um Natal com menor impacto ambiental e financeiro

 

 

Como já é habitual nesta época festiva, a Quercus apresenta alguns conselhos simples para um Natal ambientalmente mais responsável e também económico, um factor fundamental na época de crise que vivemos. A aplicação de alguns destes conselhos, relacionados maioritariamente com práticas de consumo sustentável, permitirá constatar que cuidar do ambiente é, muitas vezes, sinónimo de poupar no orçamento familiar.

 

Da decoração à ceia



- Quem adquiriu uma árvore de Natal em vaso deve tentar mantê-la durante o resto do ano, embora a melhor opção seja uma árvore artificial que pode ser sempre reutilizada;

- Desligar a iluminação da árvore e da varanda durante a noite, quando não está ninguém em casa ou até mesmo na divisão. Esta iluminação deve ser energeticamente eficiente, o que é possível escolhendo lâmpadas LED;
- Fazer uma boa manutenção dos enfeites de Natal e guardá-los no fim desta época para reutilizar no próximo ano;

- Não comprar azevinho verdadeiro, pois é uma espécie em vias de extinção. Adquirir antes uma imitação artificial ou criar uma coroa de azevinho através da reutilização de materiais;



- Para quem não consegue resistir ao bacalhau na ceia de Natal, optar pelo de grandes dimensões, o mesmo devendo acontecer com o polvo; dar preferência a produtos nacionais ou regionais, pouco embalados, adquiridos no comércio local e, se possível, de origem biológica;

- Fazer uma lista antes de comprar os alimentos, de modo a evitar desperdícios e confeccionar a maior parte dos doces em casa;

- Utilizar loiça lavável nas várias refeições e evitar os materiais descartáveis.

Dar presentes sem gastar muito
- Ser solidário e oferecer prendas no âmbito de campanhas de solidariedade social ou usando as plataformas de doações para dar coisas que perderam utilidade;

- Na compra dos presentes, privilegiar produtos úteis, duráveis, educativos e inócuos em termos de substâncias perigosas;

- Evitar produtos com excesso de embalagem, que são mais dispendiosos e de mais difícil reciclagem;

- Em época de contenção de despesas, recorrer ao truque do amigo secreto, estipulando um valor máximo para a troca de prendas;

- Em caso de dúvida sobre a prenda a oferecer, optar pelos cheques-prenda já disponíveis em inúmeras lojas (livrarias, teatros; lojas de roupas ou de outros bens);

- Sempre que possível, utilizar os transportes públicos nas deslocações às compras;

- Procurar levar sacos reutilizáveis para as compras ou utilizar o número mínimo de sacos possível;


- Para os embrulhos, evitar comprar papel de embrulho e adereços, reutilizando materiais que possam existir em casa;

- Na oferta de equipamentos eléctricos e electrónicos, pesquisar as marcas mais seguras aqui ;
- Na oferta de produtos de perfumaria, cosmética ou higiene pessoal, escolher aqueles que não fazem testes em animais, procurando a lista em www.lpda.pt
;
- 
Oferecer a inscrição em associações cívicas (por exemplo, associações de defesa do ambiente) ou um donativo a uma determinada causa (por exemplo, apadrinhando um animal selvagem);
- 
Oferecer prendas produzidas em Portugal (como por exemplo vinhos, azeite, artesanato, doçaria tradicional, frutos secos, etc.)

.


Depois do Natal, resíduos no sítio certo


- Guardar os laços e o papel de embrulho para utilizar noutras ocasiões; muitas embalagens, caixas de prendas, papéis de embrulho podem ser utilizados pelas crianças para fazer objectos, como máscaras ou porta canetas;

- Separar todas as embalagens – papel/cartão; plástico; metal – e colocá-las no ecoponto mais próximo, mas apenas alguns dias mais tarde, para evitar grandes acumulações nos contentores;
- Não deitar as pilhas para o lixo, mas sim nos pontos de recolha específica, como o Pilhão ou o Repilha. As pilhas recarregáveis são uma alternativa económica e ecológica;
- No que às limpezas diz respeito, reduzir a quantidade e perigosidade dos produtos, preferindo os biodegradáveis e/ou em recargas.
 
Apesar da sua maior importância numa época de grande consumo como o Natal, muitos destes conselhos aplicam-se ao nosso quotidiano e por isso devem ser seguidos durante todo o ano.
Fica o desafio aos portugueses para, em 2012, reflectirem que boas práticas ambientais podem ainda incluir no seu dia-a-dia.

A Quercus deseja a todos um excelente Natal e um ano de 2012 muito ecológico!

Lisboa, 20 de Dezembro de 2011

A Direcção Nacional da

Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza
publicado por Paulo José Matos às 20:00 | favorito